Setembro Amarelo

fullsizeoutput_3bb7

Quando a vida perde a cor.🖤

Setembro amarelo, lilás, verde bandeira, laranja… setembro de todas as cores. Vida de todas as cores, matizes, nuances. A forma como lidamos com nosso dia a dia e com as situações que vivenciamos dependem diretamente da forma como pensamos e sentimos esses acontecimentos. Isso faz um momento parecer de uma cor ou de outra.

Nós adultos, normalmente, temos nossa maleta de cores mais completa, com muitos tons… Em função de todos os eventos que já vivemos. Temos também a experiência, que demonstra que as cores mudam o tempo todo e é isso que torna a vida tão bonita e colorida. Entretanto, mesmo sabendo disso, muitas vezes, a gente se confunde, esquece ou perde a capacidade de enxergar todas essas possibilidades. Quando nos sentimos assim, parece que só existe o cinza ou o preto e tudo parece monocromático, chato, entediante ou escuro e, por um instante, pode nos parecer que não há saída.

As crianças e os jovens, apesar de terem a semente da alegria e do entusiasmo dentro deles, em função da pouca experiência, podem ter ainda mais dificuldade para passar por certas situações, No caso dos jovens, isso muitas vezes se potencializa pela própria fase que atravessam, na qual precisam buscar e reconhecer sua própria identidade e jeito de ser.

É um momento de muitos questionamentos, busca da compreensão da realidade, de seu próprio espaço, tempo, pensamento e caminho. E ainda tem a escola, os amigos, a sexualidade, as provas, o Enem, os pais, os grupos, o bullying, meu corpo, minha voz, as espinhas, as atividades, o celular, o jogo,,,,,, “Ai! É tanta coisa! Eu me sinto confuso… parece que não consigo lidar com todas essas coisas, pressões e dúvidas que aqui existem. Tô cansado. Me sinto sozinho. Parece que ninguém me entende.”

Aprender a perceber o que se está pensando e sentindo é fundamental para lidarmos com a nossa vida com mais tranquilidade e clareza. Aprender a se aquietar e a se desidentificar, por alguns momentos, em determinada situação, torna possível enxergarmos mais cores e encontrar novos caminhos.

Além de ensinar nossos amados jovens a beleza do português e a genialidade da matemática é urgente a necessidade de ajudá-los a desenvolver uma maior capacidade emocional, de auto-estima e poder pessoal para lidarem com as situações que se apresentam e se apresentarão por toda a vida.

Pensando nisso, desenvolvemos um trabalho específico para as escolas, com base nos estudos e ferramentas propostas por Vera Calvet, fundadora do Instituto Ráshuah. Esse trabalho já está sendo desenvolvido em escolas municipais do Rio e também na rede particular em São Paulo, com ótimos resultados. Os jovens afirmam se sentirem mais conectados, alegres e perceptivos às emoções e pensamentos que habitam dentro deles sem se assustarem ou desesperarem. Com esse trabalho, desenvolvem um maior entendimento sobre si e resgatam seu poder e entendimento sobre a melhor forma de lidar com os desafios que chegam.

É lindo, não é?! Imaginem se tivéssemos aprendido um pouco disso, quando éramos menores? Talvez, tivéssemos poupado um bocado de bateção de cabeça, não é mesmo? 😉

Se você é professor, mãe, pai, tio, tia, avó, avô, amiga ou amigo e acredita que esse projeto possa fazer bem a uma comunidade escolar, teremos um enorme prazer em apresentá-lo com mais detalhes. Se você acredita que esse post possa chegar a alguém que possa se beneficiar, por favor, compartilhe. Se você, em alguns momentos, também percebe certa dificuldade em perceber a beleza de todas as cores, também atendemos de forma particular.

Viva cada um. Viva todos nós. Viva a vida.

Para conhecer mais, acesse: https://bit.ly/2MMR5De

 

 

Anúncios